segunda-feira, 18 de março de 2013

A UMBANDA, AS EMOÇÕES E CRESCIMENTO ESPIRITUAL (PARTE II)



Dando sequência à publicação Parte I:

TRISTEZA

É uma emoção que tem como causa a perda, separação ou fracasso.
Por exemplo, perda de um emprego, separação por conta da morte de um ente querido, fracasso numa prova da faculdade, etc.
Dentre todas as emoções a tristeza é aquela que o ser humano tem mais aversão, pois o consequente sofrimento é imediato.
Por outro lado a tristeza motiva o homem a refletir sobre seus princípios e atitudes, forçando a modificar-se e a evoluir.
Com isso, ele acaba aprimorando-se o que é saudável para o convívio social.
Na Umbanda, a tristeza constitui-se numa das maiores motivações para a busca de um Guia Espiritual, quando o sofrimento se torna tão grande que todo preconceito, receio, medo, acaba se esvaindo diante da necessidade de se resolver o problema.
Mas qual seria a melhor atitude diante da tristeza?
O ideal seria expressar essa tristeza através de palavras e gestos, permitindo-se chorar e/ou recolher-se. Precisamos de um tempo para nos refazer.
Mas isso não pode demorar-se, pois a longa exposição à tristeza pode nos levar a um estado de depressão.
Se por um lado a tristeza é positiva, pois nos obriga a refletir, por outro lado ela não pode nos desviar de uma conduta realista diante da vida.
Na prática, devemos buscar motivação para continuarmos a viver, mesmo porque existem muitas outras necessidades da vida a serem satisfeitas.

MEDO

O medo quando é provocado por algo real é considerado saudável e condição essencial para a sobrevivência, visto que sem ele o ser humano colocaria sua vida em constante risco.
Por outro lado, o medo de algo irreal (imaginário) ou o medo exagerado tende a transformar a nossa vida num pesadelo.
Fisologicamente o corpo se prepara para enfrentar o medo através da descarga de adrenalina, substância que possibilita uma reação rápida e eficiente. Contudo quando a adrenalina não é utilizada o seu efeito é exatamente o contrário, colocando-nos num estado de recolhimento e tristeza,
Por isso o medo tem que ser trabalhado sempre de maneira que seja proporcional à sua cauda imediata.
Nosso Guias estão sempre nos encorajando a enfrentar o medo de maneira mais racional possível, mas a confiança é sem dúvida o elemento mais importante para lhe dar com o medo.
É preciso cultivar a fé e aprender a valorizar-se, pois a auto-estima elevada nos traz segurança e consequentemente possibilita a segurança necessária que devemos sentir diante das situações de perigo.
Há um ditado chinês interessante:
“Onde não há medo não há perigo”

ALEGRIA E AFETO

De um modo geral, as pessoas não tem grandes problemas com essas emoções.
Porém, é preciso atentarmos para o fato de que essas emoções quando levadas ao exagero podem causar frustrações maiores do que as três emoções consideradas negativas.
O equilíbrio é o estado aconselhado por nossos mentores espirituais.
Basta observarmos os seus comportamentos. São sempre controlados por uma emoção bastante firme, porém calma e imponente.
Assim, podemos concluir que nossos amados Guias tem sempre nos mostrado o melhor caminho e se não conseguimos alcançarmos esse pretenso estado de equilíbrio é por que não maioria das vezes temos negligenciado quanto aos exemplos a serem seguidos.
Muita luz a todos nessa jornada que juntos percorremos e mais uma vez espero poder ter sido útil.
Muito axé, querido irmãos.
Alexandre Trinidad
Sacerdote de Umbanda

segunda-feira, 11 de março de 2013

A UMBANDA, AS EMOÇÕES E O CRESCIMENTO ESPIRITUAL - PARTE I


Como usar suas emoções a seu favor?
Basicamente o ser humano tem 5 tipos de emoções:
Raiva, Tristeza, Medo, Alegria e Afeto.
Costumamos considerar as três primeiras como negativas e as duas últimas, positivas.
Esse tipo de visão é um erro. Não nos traz nenhum benefício. Pelo contrário, nos mergulha num poço de impotência e frustração.
De fato, toda emoção é importante e tem uma função positiva, pois ela nos impulsiona no sentido de agir. Sem ela nós mergulharíamos na inércia total.
Na Umbanda, nossos Guias são sábios condutores das emoções.
Constantemente eles estão nos motivando através de nossas emoções.
Vale a pena observar isso.
Os próprios trabalhos de magia têm essa função: agir emocionalmente em nosso campo físico e espiritual.
As oferendas, rituais, procedimentos, iniciações, etc. são sempre carregados de fortes emoções.
Por exemplo, quando vamos fazer uma oferenda num local público sentimos medo de ser surpreendidos por alguém ou algo sobrenatural.
Quando preparamos uma homenagem para nossos Orixás, somos tomados de muito afeto e alegria.
São muitos os exemplos do uso da emoção na Umbanda.
E são essas emoções que nos motivam.
Bem agora vamos exercitar a parte prática.
CONHECENDO AS EMOÇÕES
Para que possamos utilizar bem nossas emoções precisamos conhece-las muito bem.
O exercício consiste em identificar que emoção, entre os tipos elencados, estamos sentido em determina momento.
Faça esse exercício todos os dias, todas as horas, até que crie esse hábito.
Conhecendo nossas emoções podermos agir da maneira mais adequada.
RAIVA
A energia que a raiva produz e concentra é espantosa. Entretanto a grande maioria das pessoas acabam desperdiçando-a utilizando-a de forma errada.
Como a identificamos como algo negativo, acabamos por nós culpar.
Os mais contidos “engolem um sapo” prejudicando seu sistema digestivo.
Outros “vomitam” impropérios” (palavrões) poluindo o ambiente a sua volta e jogando fora uma energia que poderia ser usada para seu proveito.
Por fim há aqueles que transformam a raiva em violência. As consequências podem ser um olho roxo e lamentavelmente até a morte de um dos envolvidos.
Mas qual é a melhor atitude?
A resposta está na observação do comportamento de nossos Guias Espirituais.
Reparem como eles, mesmo diante de situações adversas e estressantes, conseguem manter o equilíbrio e, mesmo que tenham que usara “força”, o fazem de maneira racional e inteligente, sempre focando única e exclusivamente o propósito final do trabalho.
Por isso eles são os nossos Mestres.
E as outras emoções? Como lidar com elas?
Se você se interessou pelo assunto e quer saber mais, aguarde a próxima publicação.
Espero que possa ter contribuído positivamente na sua vida.
Pai Alexandre Trinidad
Sacerdote de Umbanda

quarta-feira, 6 de março de 2013

AVISO IMPORTANTE

Tendo em vista a necessidade de algumas adequações de nossa Casa às normas de segurança dos Bombeiros estaremos suspendendo nossas atividades públicas a partir de hoje, provavelmente até duas semanas.

Pedimos a compreensão de todos.

Informaremos tão logo tenhamos uma data para voltarmos.

Muito Axé a todos.

Pai Alexandre Trinidad
Sacerdote de Umbanda

Novo calendário do primeiro semestre de 2017, revisado.